Teatro
Teatro Invisível
A Visita
img not load

Quando um homem do campo carregado de memórias, caminha solto no espaço, os seus pés de barro misturam-se com os dedos que se cavaram na terra. A harmonia é dissonante, no equilíbrio ele parece cambalear, como se fosse voar. Como marinheiro sem mar. A melodia desse movimento, encontra o compasso no tropeço, como um corpo suspenso, que procura o gesto para sintetizar, a ideia que se perde no meio da palavra. O ritmo determina o seu andamento pela ansiedade, e a respiração queima o ar.

O texto serve apenas como ferramenta para uma construção, ou desconstrução de qualquer lógica naturalista. O texto vai ao encontro da poética das sonoridades mais rurais.

Que espera este homem? Que podem esperar os homens? Que se pode esperarencontrar dentro das invenções que se reinventam para acreditar que se vive... ou não se vive.

As aldeias morrem, de gentes, de bichos, e depois, de memórias que se escondem no vazio onde dorme a essência daquilo que somos e não somos.

Texto: Moncho Rodriguez

Espaço sonoro: Narciso Fernandes

Desenho de Luz: Ramon Barreto

Figurino: Marília Martins

Interpretação: Pedro Giestas

Assistente: Rui Cancela

Produção: Associação. Cultural. Noite do Fogo

Última atualização: 17.11.2022

28 janeiro sáb, 21h30 | M/12 Teatro-Cine de Torres Vedras

Preço 5

Lotação 390

img not load

Última atualização: 17.11.2022